O papel do homem na sociedade não é de apenas não cometer qualquer tipo de abuso contra as mulheres, mas também agir no caso de perceber algumas circunstâncias suspeita. Isso aconteceu recentemente na capital Belo Horizonte. Quando motorista de um veículo de transporte coletivo no que a mulher poderia estar sendo abusada por um homem que a acompanhava e imediatamente pediu a presença da polícia, as autoridades agiram e o estupro foi evitado. Sobre o tema, consultamos a especialista em direito das mulheres, advogada Juliana Drummond, ela não gosta de entrar em assuntos específicos, mas abriu exceção para comentar a boa atitude do condutor do transporte coletivo.

“Eu evito falar sobre casos de violência. Casos que estão aí nas páginas policiais porque gosto de focar aí na soluções. Nos canais de denúncia, nos tipos de soluções para o conflitos familiares, para a questão de guarda, convivência, pensão alimentícia, de filho e por aí vai. Mas hoje eu trago uma notícia que me deixou satisfeita mesmo sendo uma questão criminal, é a questão de um motorista e passageiro salvaram uma mulher de uma tentativa de estupro lá em São Paulo. Nós já vimos esse caso parecido aqui em Itabira. Quando uma mulher foi vítima de um assalto ali na cento e cinco e o pessoal do coletivo, que ia pra Vale parou e conseguiu conter o assaltante e salvar essa mulher aí e ter os seus pertences ressarcidos dessa tentativa de assalto. E foi muito elogiado, teve uma repercussão muito grande. Nesse caso também não foi diferente estava às 6h e 30 da manhã em né caminhando pela rua no passeio e foi abordada por um homem que portava um objeto perfurante e obrigava ela a acompanhá-lo. O ônibus estava passando no momento daquela atitude ali, dela ter ficado nervosa, a bolsa dela caiu no chão, mas ela foi obrigada a acompanhar aquele homem. O motorista então percebeu aquela movimentação e reduziu a velocidade. E viu que as coisas a mulher estava muito e estava sendo obrigada a acompanhar aquele sujeito. E na sequência quando a mulher viu ela começou a gritar e aí os passageiros desceram do ônibus e salvaram essa mulher. Empurrando o homem, e deixando ele ali, chamando a e contendo ele pra chamar a polícia pra ele ser preso pela tentativa de estupro. E aí que que acontece? Isso é interessante porque que eu estou falando pra você sobre isso? Por quê? Nós como cidadãos podemos proteger as mulheres. Seja pelo 190 pela polícia militar. Seja pelo 181 através da denúncia anônima. Seja pelo disque 100 que é direitos humanos. Então a gente pode sim fazer denúncias de violação de direitos humanos através do disque 100. E temos 180 que é um canal que fala sobre os direitos das mulheres que a gente pode também indicar aí. Eu faço parte do Justiceiras que está sempre lá no código de barras lá no no QR Code né? Tem o o QR Code nos litros de leite de quase todas as marcas que faz atendimento e apoio psicológico e jurídico pras mulheres que estão sofrendo violência ou você pode indicar também uma pessoa que você sabe que está vivendo uma violência doméstica e familiar e ela vai ser atendida por nós então temos como agir e podemos e devemos como cidadãos proteger aí as mulheres e conter essa onda de crimes aí contra as mulheres.”

Reportagem: Euclides Éder

Ouça a entrevista completa:

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Solverwp- WordPress Theme and Plugin