Valério segue hoje sexta-feira para o Alto Paranaíba. No domingo dia 26 as 7 horas da noite no estádio Bernardo Rubinger Queiroz. O time enfrenta o Mamoré em Patos de Minas. Partida decisiva do Campeonato Mineiro segunda divisão.

Ontem à tarde dia 23 quinta-feira o Valério foi superado por esse adversário, perdendo por 2 a 1. O time chegou a levar 2 a 0. Gols de Luiz Antônio aos 33 do primeiro tempo e Gabriel Neto aos 8 da etapa final. Mas Felipinho Moranga aos 24 diminuiu porque aumenta a possibilidade de reverter o placar. O Valério Paraíso na partida anterior contra o América de Teófilo Otoni. Se o Valério vencer pela diferença mínima, decisão dos pênaltis. Se for, triunfo por dois gols de diferença, o time conquista a taça para o técnico Paulinho Guará é natural a queda de rendimento considerando que o time tem se apresentado melhor fora de casa e porque o principal objetivo já foi alcançado, que é o acesso ao módulo dois de 2024. Ele também destacou que o time jogou mal no primeiro tempo, mas com as alterações melhorou na etapa final.

A gente precisa na situação do jogo tomar a decisão ali. As vezes o treinador precisa ser feliz na substituição. Aí quem entrou, entrou muito bem. Conseguimos mudar um pouquinho o cenário do jogo. Tivemos mais mais vontade de ganhar o jogo. Eu acho que o que faltou no primeiro tempo foi atitude. Falei pra eles aquela questão ah vamos entrar não. É uma final velho e final nem todos tem essa oportunidade de chegar numa final. Agora que a gente está na final a gente precisa fazer o nosso melhor pra buscar esse esse título. Então é mais a questão emocional a gente cria bem, joga bem, a gente toda vez que a gente erra. A gente toma os gols, duas vezes como Mamoré foi lá, fez dois gols, a gente criou bastante oportunidade, aquela questão de confiança, aquilo que tá faltando desde o toda temporada. De aquela vontade de fazer o gol. Mas agora como se diz, não tem tempo parlamentar, temos uma final domingo. Os outros noventa minuto. Mas vamos lá, vamos buscar, o Valério tá tá vivo. Olha a confiança, é mesmo, é só descansar mesmo. Descansar, vamos viajar pra poder fazer uma boa viagem, descansar, esses atletas alimentar bem, hidratar pra que a gente possa domingo tá todo mundo bem e aí a grande final. Aí a hora que a que a taça vai tá lá. Que a gente vai ter poder reverter o resultado pra gente levantar a taça.”

O que foi determinante pra esse resultado da partida?

“O nosso primeiro tempo muito ruim. Atitude no primeiro tempo de de todos. De todo o time. Jogamos sem compromisso isso não gostei. Cobrei deles no intervalo. E a postura mudou. A partir do momento que mudar a postura, a atitude tempo foi muito melhor, tivemos mais volume, tivemos mais chances de fazer o gol, conseguimos buscar um gol ali ainda. Que ainda nos dá uma uma possibilidade de ir lá em Patos e buscar o título.”

Muita gente dizendo que o Valério tá jogando o melhor fora de casa, você concorda?

“Então eu acho que criamos essa sina. Essa questão de Valério joga bem, melhor fora de casa. Eu confesso pra vocês que eu trabalhei muito em relação a isso. Não não sei o porquê, não sei se é o emocional, a confiança dos atletas. De tá sabendo absorver às vezes aquela cobrança que é normal no futebol. Mas é isso, se a gente tem essa questão de jogar bem fora, isso é uma coisa positiva, podemos fazer, mas eu acho que às vezes atitude fora está sendo muito melhor do que atitude em casa.”

“Mas agora como se diz, tem que levantar a cabeça, não tem tempo de lamentar. Não temos tempo de agora estudar o que a gente errou aqui, o que a gente precisa fazer lá, mas boa estratégia pra gente surpreender o Mamoré e ser campeão lá. Que muito jogador saiu com com algumas situações física. Muito jogador suspenso também. A gente tem que pensar vamos vamos pra lá. Vamos essa semana a gente tem amanhã e sábado pra gente ver quem são os melhores fisicamente também pra estar aí dentro de campo.”

Primeiro grande objetivo é a classificação. Valério alcançou. Isso pode de alguma forma ter causado certo relaxamento?

“Pode. Eu falei muito com os atletas em relação a isso. Normal às vezes clima de festa, conseguir o principal objetivo, mas pra nossa carreira, pro nosso currículo, quanto mais você conquistar. Quanto mais você galgar na sua carreira, pôr no seu no dia. Igual a gente conquistou um acesso muito difícil, muito histórico e agora a gente vai buscar novamente um título. Que eu acredito, tô confiante, acredito que nós vamos lá buscar.”

Reportagem: Euclides Éder

Ouça na íntegra:

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Solverwp- WordPress Theme and Plugin