André Viana vai fazer gestão para a Vale investir em novos leitos no HNSD e melhorar o atendimento aos beneficiários do PASA/AMS.

Em reunião na sede do Sindicato Metabase de Itabira e Região, na sexta-feira (24), com o bispo da Diocese de Itabira/Fabriciano, dom Marco Aurelio Gubiotti, que preside a Irmandade Nossa Senhora das Dores, André Viana Madeira se comprometeu a fazer gestão junto à mineradora Vale para que faça aporte de recursos no hospital, visando melhorar o atendimento aos aposentados, viúvas e pensionistas, além dos trabalhadores assistidos pela Assistência Médica Supletiva (AMS).

A reunião foi coordenada pelo presidente do Metabase, que é membro do Conselho de Administração da Vale. Participaram também da reunião o presidente do Plano de Assistência à Saúde dos Aposentados da Vale (Pasa), Ricardo Gruba, e a diretora clínica Patrícia Pena.

Pelo hospital, participaram ainda o provedor Márcio Antônio Labruna, o diretor-administrativo Alexandre Coelho, além do diretor de Tecnologia e Inovação do hospital, Marco Valle. Todos se comprometeram fazer gestão em suas respectivas áreas para melhorar o atendimento médico-hospitalar aos assistidos pelo plano de saúde, como também pela AMS da Vale.

Segundo André Viana, o investimento na abertura de novos leitos é necessário para se fazer frente à forte demanda no HNSD, que tem tido ainda mais procura por atendimento hospitalar com o aumento de trabalhadores de empresas terceirizadas no município.

E, também, depois que o Hospital Municipal Carlos Chagas (HMCC) passou a atender exclusivamente pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), por força de um termo de ajustamento de conduta firmado pelo governo do ex-prefeito Damon Lázaro de Sena (2013-16) com o Ministério Público de Minas Gerais.

Demanda crescente

Na reunião na sede do sindicato, ficou claro que, para o HNSD atender bem à essa forte e crescente demanda por internações, serão necessários mais investimentos na abertura de novos leitos.

Isso até mesmo para que não resulte em prejuízo à cota mínima de 60% no atendimento aos pacientes SUS, obrigatória por se tratar de uma entidade filantrópica como é o HNSD.

“Com a ocupação total do número de leitos atualmente disponíveis para o atendimento supletivo, isso tem ocasionado forte pressão no sistema hospitalar, com muitos assistidos pelo PASA/AMS tendo de ser transferidos para internações em hospitais de Belo Horizonte, com todos os riscos e incômodos que isso representa aos aposentados, viúvas, pensionistas e para os próprios empregados da Vale e seus familiares que precisam ser internados”, observa André Viana.

Mais leitos

Diante dessa situação, o sindicalista vê como urgente a necessidade de ampliar do número de leitos no HNSD – ou mesmo a abertura de um novo hospital, uma demanda antiga que também precisa ser atendida com a urgência de uma cidade que está se transformando em polo macrorregional de saúde.

Mas antes disso, outra reivindicação apresentada à direção do HNSD é de melhoria geral no serviço de hotelaria, que tem deixado a desejar conforme inúmeras queixas, justificadas pela direção do hospital como sendo decorrente justamente dessa forte pressão com a crescente demanda por atendimento e internação hospitalar.

Para isso, a direção do hospital já se comprometeu com a imediata reabertura da ala Francisco Schettino, que passará a contar com 15 leitos específicos para atendimento aos assistidos PASA/AMS e de outros convênios.

“A melhoria do atendimento aos usuários dos planos de saúde vai refletir também na melhor qualidade da assistência médico-hospitalar aos pacientes do SUS”, acredita André Viana.

Reportagem: Átila Lemos

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Solverwp- WordPress Theme and Plugin