O CAPS adulto está em reformas momentaneamente o serviço está ocorrendo na Rua Minervino Betônico 10, bairro Pará, quem trouxe a informação é a terapeuta ocupacional do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas o CAPS AD Fabiana Pimenta.

Itabira a gente fala que a saúde mental ela não é um serviço, ela é uma rede de oferta de cuidados. Importante a gente pensar nessa nessa perspectiva do cuidado em saúde mental, então ela começa na atenção primária nos PSFs com a equipe de atenção básica que é capaz de acolher essas entender o que que tá acontecendo, o sofrimento e direcionar pro mais indicado. Nessas equipes a gente tem as eMultis, os antigos Nasfs que hoje são eMultis agora há cerca de um ano e pouquinho atrás a gente expandiu também com já tinha psicólogos em algumas unidades, hoje a gente expandiu esse atendimento com oferta de psicólogos em o mais unidades. Cobrindo mais unidades, também assistentes sociais pra dar suporte à população. Tudo pela demanda das equipes de atenção primária. E também temos o centro de convivência que é um lugar de inclusão social, de arte, de lazer, de educação e saúde, de oferta. Outras possibilidades pras pessoas e os CAPS a gente tem três CAPS. O CAPS infanto juvenil ali no Campestre ao lado da igreja, o CAPS álcool e drogas no Pará em frente ao Sindicato Metabase e o CAPS 2, que é o CAPS de adulto que está funcionando provisoriamente no Pará também pertinho da pracinha rua Minervino Betânico número dez porque o prédio vai ser reformado e a o planejamento é que os o tanto o CAPS do Campestre quanto o CAPS álcool e drogas eles tenham adaptações. A reforma também é pra isso pra funcionarem 24 horas que é um grande ganho pra gente conseguir cuidar melhor das pessoas em crise, as pessoas precisam de atenção mais intensiva. Hoje a gente tem os leitos no Hospital Nossa Senhora das Dores que acolhem os usuários quando a gente precisa de um cuidado intensivo, a pessoa não tem condição de voltar pra casa, mas acaba as vinte e quatro horas vão melhorar ainda mais esse cuidado.”

Então a saúde mental do município ela será ampliada.

“Sim, a proposta é cada dia mais ampliar e intensificar os cuidados que precisa. A gente percebe que os pacientes na crise, na hora do sofrimento intenso, da dificuldade de manejar, da desorganização, do uso muito intensivo de uma substância, a gente cuidado intensivo e hoje a organização nessa rede de urgência é pelos leitos, pelos CAPS 24 horas e não tem mais assim o hospital psiquiátrico que a pessoa ia lá e ficava o resto da vida. Hoje o cuidado é no território, próximo da família, da comunidade.”

Reportagem: Euclides Éder

Ouça a entrevista completa:

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Solverwp- WordPress Theme and Plugin