O mais recente levantamento rápido do índice de infestação por Aedes aegypti o LIRA realizado na segunda quinzena de outubro apontou o índice de infestação predial de 3,2%. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde o resultado coloca Itabira em situação de risco médio, sinal de alerta para um surto de conta pelas arboviroses. Dengue, zika vírus, chikungunya e febre amarela. Quem faz o alerta é Natália Andrade, superintendente de vigilância em saúde.

“A secretaria municipal de saúde através do controle de zoonose com os agentes comunitários de endemias. Fechou ao final do mês de outubro o o último LIRA. Que é o levantamento do índice rápido do Aedes Aegypti. Este este índice ficou em 3,2% de infestação prejudicial. Que significa que em em uma condição de sinal de alerta médio para eh as as transmissão de endemias como dengue, zica e chikungunya. Como essas essas doenças tem como vetor comum o Aedes aegypti. Segundo o ministério da saúde uma um índice considerado aceitável é menor que 1% sendo que de 1 a 3,9% temos uma situação de alerta e acima de 4% um risco alto de surto no no município. É importante salientar que a gente fez esse esse levantamento antes do início da chuvas. Então numa situação que as condições não estão favoráveis para a proliferação do mosquito. E com chegada das águas a nossa preocupação e a situação de alerta da população com relação a eliminação de focos em sua residência no entorno é de suma importância pra gente evitar com que o vírus circule e com que as doença acometa a nossa população. As orientações continuam sendo as mesmas. Aqueles 10 minutos semanais que a população deve ter como rotina pra verificar a sua residência e o entorno da mesma eliminando água para verificando a presença de foco ou a presença de possíveis criadouros. Manter a preocupação em lavar os os reservatórios de água de animais, manter ralinhos fechados, principalmente daqueles ambientes que não são utilizado. O vaso sanitário, aqueles banheiros que não estão sendo utilizados frequentemente. Verificar e vistoriar os pratinho das plantas colocando areia aqui a água não fique ali, podendo ser um possível criadouro. Os recipientes atrás de geladeira que pode também acumular água. Caixa d’água ou reservatório de água a nível do solo. Manter as caixas d’águas tampadas. Teladas, tampadas. Enfim, qualquer situação que o acúmulo de água é um ambiente propício para proliferação do mosquito e a disseminação dessas endemias. Vale ressaltar também que o município de Itabira recentemente dobrou o seu contingente de agente de combate à endemias com isso a gente tem a oportunidade de receber em nossa casa um agente que tem o olhar preparado está capacitado para orientar a população e para verificar os possíveis locais de de risco de proliferação do foco. Receba bem o agente de combate a endemias e faça a sua parte evitando com que o mosquito venha a proliferar e a disseminar a doença. Porque infelizmente essas doenças elas são graves podendo deixar sequelas para o resto da vida e até mesmo levar a morte.”

Reportagem: Euclides Éder

Ouça a entrevista completa:

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Solverwp- WordPress Theme and Plugin