Romeu Zema, governador, e Maurício Marques, diretor da GRS Itabira. Foto: Divulgação

O Plano Diretor de Regionalização de Saúde no Estado aprovado nas últimas reuniões da Comissão Intergestores Bipartite Estadual no Sistema Único de Saúde (CIB/MG/SUS), confirmou a proposta da Gerência Regional de Saúde (GRS) para ampliar a área de abrangência.  Agora, o município sede foi confirmado como uma macrorregião complementar à Belo Horizonte, deixando de ser apoio, e assim, promovida a macrorregião complementar. Itabira caminha para ser efetivada como um grande polo, e poderá passar a resolver boa parte das demandas que atualmente são encaminhadas para a capital, e municípios do colar metropolitano.

Sede da GRS Itabira

“É a oportunidade de Itabira e região. Uma vez que, todos buscam alternativas para diversificação econômica, temos que lembrar que saúde é um negócio alternativo economicamente, uma vez que, emprega muita gente e as pessoas que vierem para a cidade para utilizar o sistema de saúde local, irão necessitar de hotéis, restaurantes, e lanchonetes, aquecendo nosso comércio. Temos pensado muito que, em um futuro bem próximo, poderíamos elevar o município em uma sede de macrorregião sozinho, e deixaríamos de ser apenas complementar, mas isso é para outro momento”, destacou o diretor da GRS, Maurício Marques.

A próxima etapa é buscar melhorias na qualidade da assistência, já que muitos casos de outras regiões passaram a ser resolvidos na cidade. A resolução que trata da modificação entrou em vigor dia 14 de dezembro, mas com efeitos retroativos a agosto. Com a mudança, a GRS Itabira passou dos 24 municípios de responsabilidade, para 27, incorporando: Materlândia, Sabinópolis e Rio Vermelho. A GRS atua como um braço da Secretaria Estadual de Saúde (SES/MG), e possui competência para implantar políticas e ações em toda a área de atuação. A distribuição das microrregiões atualmente em vigor teve mudanças pontuais.

Foto: Divulgação

Itabira, agora, como sede de macrorregião complementar, passa a ser a referência para as três microrregiões. A responsabilidade territorial passou a ser: Guanhães (Carmésia, Dom Joaquim, Dores de Guanhães, Materlândia, Rio Vermelho, Sabinópolis, Senhora do Porto e Virginópolis). Itabira (Barão de Cocais, Bom Jesus do Amparo, Catas Altas, Ferros, Itambé do Mato Dentro, Morro do Pilar, Passabém, Santa Bárbara, Santa Maria de Itabira, Santo Antônio do Rio Abaixo, São Gonçalo do Rio Abaixo e São Sebastião do Rio Preto). João Monlevade (Bela Vista de Minas, Nova Era, Rio Piracicaba e São Domingos do Prata).

Reportagem: Euclides Éder

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Solverwp- WordPress Theme and Plugin