Mauricio Marques recebendo na Central de Frios remessa para Santa Maria de Itabira. Foto: Divulgação/GRS Itabira

A Gerência Regional de Saúde (GRS) de Itabira dispensou nesta sexta-feira (23), lote com 242 doses da vacina Qdenga, destinada ao município de Santa Maria de Itabira, dando início a imunização de crianças de 10 e 11 anos, conforme orientação da Nota Técnica do Ministério da Saúde (MS). De acordo com o diretor da GRS Itabira, Maurício Geraldo Marques, que pessoalmente retintou a remessa da vacina na Central Estadual da Rede de Frio em Belo Horizonte, as doses fazem parte do primeiro lote de vacinas (78.790 doses) que o Estado recebeu do MS na quinta-feira (22).

“A chegada da vacina é um ponto importante em nosso combate pela redução do número de casos confirmados e mortes pela dengue. O Estado vinha dialogando com o Ministério da Saúde no sentido do envio dessas doses o quanto antes, visando mesmo efetivar o início de mais uma ação de enfrentamento à dengue. Mas é preciso ressaltar que independente da vacina, os cuidados que são comuns a todos no enfrentamento à dengue, principalmente água parada, devem continuar”, ressaltou o diretor da GRS, Maurício Marques.

A coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Aline Graziele Fernandes Martins, lotada na GRS Itabira explicou que as cidades selecionadas para receber a vacina Qdenga, tiveram que atender a critérios, definidos pelo MS, seguindo as recomendações da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização e da Organização Mundial de Saúde. O principal deles, possuir pelo menos um município de grande porte, ou seja, com mais de 100 mil habitantes, com alta transmissão de dengue registrada no último período sazonal, e com maior predominância do sorotipo dois.

“Estamos neste momento iniciando a vacinação contra a dengue. Trata-se de mais uma estratégia junto às demais ações de controle e prevenção da doença e devem ser realizadas em conjunto visando promover e ampliar a redução da incidência e casos graves de dengue nos municípios das microrregiões de Guanhães, Itabira e João Monlevade”, disse Alice Martins. A referência técnica em Imunização, Marcella Cristina Silva Braga, salientou que o Brasil é o primeiro país no mundo a oferecer o imunizante na rede pública. O MS recebeu mais de seis milhões de doses.

“É preciso explicar que por conta da aplicação em duas doses e uma baixa quantidade de vacina, o MS precisou definir os critérios para o início da imunização, e recomendou aos municípios, via nota técnica, que a aplicação fosse iniciada em crianças, seguindo o protocolo de vacinação de duas doses, com um intervalo de 90 dias entre elas”, finalizou Marcella Cristina. Informes técnicos esclarecem que a vacina possui vírus vivo enfraquecido de maneira controlada, o que possibilita o desencadeamento de resposta imunológica, na reação do organismo exposto ao vírus.

Entre as cidades escolhidas para receber a remessa da vacina neste primeiro lote que chegou ao Estado, oito são da região de Saúde de Coronel Fabriciano/Timóteo (Coronel Fabriciano, Timóteo, Pingo-d’Água, Antônio Dias, Marliéria, Jaguaraçu, Dionísio e Córrego Novo); um da região de Saúde de Itabira (Santa Maria de Itabira); e 13 da região de Saúde de Belo Horizonte/Nova Lima/Caeté (Belo Horizonte, Ribeirão das Neves, Sabará, Santa Luzia, Nova Lima, Caeté, Rio Acima, Jaboticatubas, Raposos, Belo Vale, Moeda, Nova União e Taquaraçu de Minas).

Reportagem: Euclides Éder

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Solverwp- WordPress Theme and Plugin