Fabrica Social. Crédito: Instituto ITI/Divulgação

Interessados devem agendar visita pelo telefone: (31) 2840-5387

O Instituto Igualdade, Transformação e Inovação Social (ITI), com a finalidade de apresentar seus projetos e atividades desenvolvidas pela Fabrica Social, abre as portas para visita programada. Empresários, diretores de escolas, personalidades ligadas ou não ao mundo da moda, parceiros e instituições que pretendem conhecer in loco as atividades realizadas pela Organização Não Governamental (ONG), podem agendar, pelo telefone (31) 2840-5387.

O ITI atua em frentes como: economia criativa do terceiro setor, empoderamento feminino e preparação de mão de obra, para o mercado de trabalho, sobretudo em oferecer oportunidades ao público em situação de vulnerabilidade social, para que, se estabeleça na sociedade e consiga evoluir com suas próprias forças, em busca de uma nova realidade. Ronaldo Silvestre, idealizador do Instituto ITI, quer que a sociedade evolua junto.

Ronaldo Silvestre. Crédito: Instituto ITI/Divulgação

“A Fabrica Social vem sendo construída desde 2013. Completamos 11 anos, em paralelo com o curso profissionalizante de costura do Instituto ITI, defendendo a premissa de propor desenvolvimento sustentável, entendendo as necessidades sociais e resgatando as mulheres em situação de vulnerabilidade. Iniciamos com pequenas produções, e hoje transformamos a cidade através da confecção uniformes escolares, tênis e mochilas”, disse.

Mais de 70 mil peças de uniformes são de responsabilidade do Instituto, além de contar com a colaboração de empresas parceiras e cooperativas certificadas, para a fabricação dos calçados e bags escolares. Eles pagam adequadamente os colaboradores, geram benefícios e produção justa, ou seja, os mesmos moldes do ITI. A mão de obra conta com 90% de moradores locais, o que fomenta a economia das localidades.

Expedição da confecção. Crédito: Instituto ITI/Divulgação

São dezenas de casos onde as famílias foram impactadas, pelas ações do Instituto ITI. “Para mim o sentimento é de gratidão. Fiz o curso e depois foi chamada para ingressar nessa oportunidade, não só pra mim, mas diversas outras pessoas, transformando vidas. Hoje tenho 50 anos e é muito difícil ter oportunidade no mercado de trabalho”, disse Edilene Aparecida Carlos Araújo, costureira há sete meses na Fabrica Social.

“Comecei desde o atelier, e boa parte das funcionárias foram minhas alunas. O que me deixa orgulhosa, ao ver todas com carteira assinada”, disse Creuza Silva Santos, de 62 anos, sete deles no ITI. “Soube da vaga através de uma amiga que trabalha aqui, e consegui a chance. Acho que tem muita demanda esse mercado, e Itabira tem propensão em ser polo têxtil“, afirmou Clara Cristiana Souza da Silva, de 20 anos.

Crédito: Instituto ITI/Divulgação

“A Fábrica Social é a realização não só do sonho do Ronaldo Silvestre, filho de costureira, mais de, 400 mulheres que, passaram desde 2018, pelos cursos do Instituto. Muitas aposentadas, vencendo a depressão, mas uma boa parte buscando trabalho digno, levar sustento pra casa, melhor qualidade de ensino dos filhos, e até a reforma na moradia. É como uma verdadeira transformação,” destaca Ronaldo Silvestre.

O Instituto ITI recebeu a premiação de Cidades Empreendedoras, iniciativa do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, em parceria com a Escola Nacional de Administração Pública (Enap). O reconhecimento deu ainda melhor visibilidade, para angariar apoiadores e parceiros. A ideia é defender negócios em locais de alto índice de vulnerabilidade. Atualmente são 60 mulheres, e sete homens atuando na Fábrica Social.

Fundador do ITI. Crédito: Instituto ITI/Divulgação

“Temos um futuro próspero em vários aspectos na indústria de confecções: produção, artesanato, resignificação e descaracterização de mercadorias. A Receita Federal, por exemplo, apreende mercadorias contrafeitas e a cada quatro unidades, produzimos três, para destinar a população carente, ou as pessoas que fazem os produtos, para gerar renda,” finaliza o fundador. A Fábrica Social é reconhecida como referência nacional.

Reportagem: Euclides Éder

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Solverwp- WordPress Theme and Plugin