Foto: Arquivo

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, existem atualmente, no Brasil, mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a doença, o que representa 6,9% da população. Para ampliar a conscientização sobre a doença e destacar a importância da prevenção, dos cuidados e do diagnóstico, no dia 26 de junho é celebrado o Dia Nacional do Diabetes. A diabetes é uma doença crônica causada pela produção insuficiente ou pela resistência a ação da insulina, hormônio que regula a glicose no sangue e garante energia para o organismo.

“A insulina é o hormônio que tem a função de transportar glicose para dentro das células, para que, aconteça a transformação em energia, e assim, garantir a manutenção das células no nosso organismo. A diabetes leva ao aumento da glicemia, e suas principais complicações são: doenças cardiovasculares como Acidente Vascular Celebral (AVC) e infarto, cegueira, insuficiência renal e amputação de membros”, explica a Médica de Família e Comunidade, da Fundação São Francisco Xavier (FSFX), Karen Moraes de Oliveira Carvalho.

Médica Karen Moraes de Oliveira Carvalho. Foto: FSFX

As formas mais comuns são: diabetes tipo um ou dois. o primeiro, geralmente surge na infância ou adolescência, mas também pode se desenvolver em adultos. A tipo dois se manifesta em adultos, mas crianças também podem ter. E está diretamente relacionada a fatores de risco: sobrepeso, sedentarismo, níveis elevados de triglicerídeos, hipertensão e hábitos alimentares. Cerca de 90% das pessoas têm o tipo dois. Sendo fundamental a realização de exames de rotina para o diagnóstico precoce.

O próximo passo é o tratamento adequado e hábitos saudáveis. “O diabetes mellitus pode se apresentar de diversas formas, e possui tipos diferentes. Independentemente do tipo de diabetes, é fundamental que o paciente procure o atendimento especializado, dar início ao tratamento para evitar futuras complicações. A prática regular de atividades físicas, aliada a uma alimentação equilibrada, são as principais medidas preventivas” destaca a médica da FSFX.

Foto: Arquivo

“Também é preciso evitar o consumo de álcool, tabaco e outras drogas, além de estar atento aos fatores de risco como pressão alta, colesterol alto, histórico familiar da doença, sobrepeso e tabagismo. Comportamentos saudáveis evitam não apenas o diabetes, mas outras doenças crônicas e até mesmo o câncer. Por isso, é imprescindível educação e conscientização”, pontua a especialista. Há também a diabetes gestacional, e quando ocorre, aumenta o risco de se desenvolver o tipo dois, posteriormente.

Reportagem: Euclides Éder

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.